quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Não vou dar conta de ser eu



"Porque ninguém se mantém interessante ou mágico. Mas a gente espera, lá no fundo,
perdido, soterrado e cansado, que a vida compense de alguma maneira. E a gente ganha
dinheiro, compra roupa, aprende novas piadas, passa protetor labial. Só pra que a vida
compense em algum momento. Só pra ganhar a coceguinha no coração. Coração burro,
tadinho. Que preguiça desse coração burro. E a pessoinha mortal e cheia de motivinhos
legais pra ser feliz segue aprisionada por essa falta de alma. E minhas coisas vão se
acumulando. E não há nada que eu possa fazer sem minha alma. A agenda vagabunda
me espera, com datas, esperanças e meios de ganhar dinheiro. E eu estou no escuro,
com uma leve impressão de que preciso voltar para a vida, porque a vida está acumulando
e depois eu não vou dar mais conta de ser eu. Mas que preguiça de ser esse eu aí. Esse
ser cheio de vontades, certezas e vidas na ponta da caneta. Eu me espero como uma
boneca murcha, ensacada pela minha falta de alma."

Model: Emily DiDonato
by David Roemer

6 comentários:

Mika °° disse...

Oie Ray,

Esse texto acabou comigo! Hoje estou tão cheia de tudo e leio isso ainda. Eu sou esse ser cheio de compromissos na agenda e que não se encontra.. rsrs

Beijos.

changinroom.blogspot.com

KIRAFASHION disse...

ai que make maravilhoso!

Ana Paula disse...

foto linda..texto lindo

Pati disse...

Ray, arrazou no texto!

expresso moda disse...

Que textoooo,na veia!
As fotos também,lindas!

bjs,Ray!

klaudinha ribeiro disse...

esse texto .. meu Deus.. parece q foi tirado da minha alma... ai...